terça-feira, 1 de abril de 2014

RIP CURL Peniche 2014 - Circuito de Surf, Bodyboard, Longboard e SUP by PPSC

Excelentes ondas, altas performances e ambiente de festa, marcam a 1ª etapa do circuito do Peniche Surfing Clube.

A Capital da Onda, Peniche, recebeu no passado fim-de-semana a primeira etapa do “RIP CURL Peniche 2014 - Circuito de Surf, Bodyboard, Longboard e SUP by PPSC”.


Participaram noventa e sete atletas, provenientes de várias regiões de Portugal e alguns atletas internacionais, nas categorias Surf Open, Surf Sub-16, Surf Sub-14, Surf Sub-12, Surf Feminino, Bodyboard Open, Bodyboard Feminino, Longboard e SUP Wave.
As condições climatéricas foram um verdadeiro desafio para a organização, dado que durante o fim-de-semana fizeram as quatro estações do ano. Sol, calor, ausência de vento, frio, vento e chuvas intensos, de tudo um pouco aconteceu. As ondas, essas estiveram sempre presentes e muito perto da perfeição.
Os atletas, acompanhantes e todos os presentes na praia, foram brindados nos dois dias de competição, com um churrasco na praia oferecido pelo Peniche Surfing Clube, que contribuiu para um ambiente muito positivo e de convívio entre todos.

No sábado a prova foi realizada em palanque duplo, um no Lagido e o segundo na Prainha, ambos no Baleal.
Esteve um magnífico dia de sol e de boas ondas, com condições exigentes para os atletas.

Embora as previsões apontassem para vento sul, tal nunca se veio a verificar, estando na maior parte do dia vento do quadrante de noroeste, com aumento da intensidade no final da tarde.  As ondas variavam entre 1m na Prainha, onde se disputaram as primeiras rondas do Surf Feminino, Surf Sub 14 e Sub 12, bem como o Longboard e a totalidade do SUP Wave, e os 1,5m a +2m no Lagido, onde se disputaram as rondas iniciais das restantes categorias.

No início da tarde foi organizada pela Surf Rider Foundation, uma ação de sensibilização ambiental, que incluiu uma limpeza de praia e onde participaram para além de atletas e seus familiares, outras pessoas que assistiam ao evento.

Neste primeiro dia, realizaram-se as finais de SUP Wave, e de BB Feminino, duas das novidades introduzidas no circuito de 2014.

No SUP Wave, os atletas dividiram-se pelos dois picos disponíveis. Rui Fialho e Filipe Ferreirinha optaram pela Prainha, enquanto Bruno “Micá” Grandela e Carlos Fidalgo decidiram fazer-se às ondas no Lagido, onde os sets tinham mais de 2m e, por mais de uma vez, varreram literalmente os atletas.

O campeão nacional em título desta modalidade, Bruno “Micá” Grandela seria o grande vencedor desta categoria disputada no seu “quintal” (os spots são mesmo em frente ao restaurante que a família detém e de onde se inspiraram para apadrinhar o estabelecimento), com um score de 13,17, ficando Rui Fialho, Carlos Fidalgo e Filipe Ferreirinha em segundo, terceiro e quarto lugar, respetivamente.

No BB Feminino, as atletas mostraram garra e coragem para enfrentarem a forte ondulação e o vento onshore que se faziam sentir.
Carolina Vintém, da Ericeira, não conseguiu enquadrar-se nas condições e ficou-se pelo terceiro lugar, sendo a grande luta pela vitória travada pelas outras duas atletas presentes na final. Mariana Machado e Anita Lino disputaram o heat taco a taco. Apenas no final do mesmo e com uma onda de 7,17, Anita consegui levar a melhor sobre a Mariana, que já não teve tempo para conseguir um bom score que permitisse ascender ao primeiro lugar.

Encontrados os vencedores para estas categorias, era tempo de uma pausa e um regresso para o dia seguinte, que face às previsões disponíveis, prometia um dia de ondas espetaculares.

O Domingo amanhece e a constatação de que desta vez as previsões estavam corretas.

Lagido clássico, com ondas perfeitas e sets entre 1m a 1,5m e vento sul offshore.

Com maré completamente vazia e devido à grande amplitude, a organização decidiu avançar com as meias-finais dos escalões de Sub 16 e Open de Surf e de BB.

Foram heats disputadíssimos, com scores elevados e muito boa qualidade de surf e BB.

Dane Hall, Duarte Baltazar, Beatriz Almeida e Daniel Fonseca (Fotos: Sebastien Emmert e RCPhotografy)
Na primeira meia-final de Sub 16, Gaspar Teixeira e Duarte Baltazar, não deram hipóteses à concorrência, vencendo com confortável distância dos terceiros e quarto qualificados, Samuel Palmerio e Tomás Farinha.

A segunda meia-final foi mais disputada, tendo Diogo Roque ficado com o primeiro lugar, a apenas 0,23 pontos do segundo classificado Simão Teixeira. Tomás Ribeiro foi terceiro a 0,97 pontos do segundo e Pedro Cardoso ficou no quarto lugar.

No Bodyboard Open aguardavam-se alguns confrontos de titãs, com a presença de atletas de referência. No primeiro heat, Filipe Cardoso, primeiro e Hugo Santos em segundo passaram à final. Hugo Nunes e João Machado não puderam estar presentes, pelo que as honras de outro grande embate passaram para o heat seguinte. 

Os experientes Silvano Lourenço, Daniel Fonseca e João Martins, tinham um adversário de apenas 13 anos, Afonso Silva.
Daniel e Silvano dominaram e passaram à final, tendo João Martins ficado em terceiro lugar e o jovem Afonso com o quarto, com uma diferença de apenas 0,77 pontos.

Entra a primeira meia-final de Surf Open e os experientes Dionísio “Nica” Rosário e Pedro “Kid” Santos não dão hipótese e relegam Francisco Santos (17 anos) e Duarte Baltazar (16 anos) para o terceiro e quarto lugar, respetivamente.

No segundo heat das meias, o britânico a residir em Peniche e que desde sempre defende as cores do Peniche Surfing Clube, Dane Hall, vence com margem confortável para os seus adversários. O mais ativo no heat, Francisco Cambim, fica em segundo, relegando para o terceiro lugar o atual campeão em título do circuito do clube, Nuno Silva, tendo Miguel Oliveira ficado com o quarto lugar.

As condições começam a melhorar e o mar cada vez mais perfeito. Apesar da chuva, ninguém desmobiliza e cada vez chega mais gente para assistir.

Começam as finais de BB Open, Surf Open e Surf Sub 16.
Hugo Santos não consegue encontrar as melhores ondas dos sets e fica com o quarto lugar do pódio na final de BB Open. Filipe Cardoso, um dos mais carismáticos bodyboarders, é o mais regular, mas fica-lhe a faltar uma onda com score elevado e ficou com o terceiro lugar a 1,30 pontos do segundo classificado, a campeão do circuito do clube em 2013, Silvano Lourenço. Daniel Fonseca não deu hipóteses e sagrou-se o grande vencedor da etapa, com a melhor onda a ser pontuada com uns expressivos 9,67 e a segunda onda com um 8, o que lhe garantiu um score total de 17,67.

Segue-se outra final espetacular, desta feita a de Surf Open. A expetativa é grande. Nica já perdeu para Dane em três ocasiões e quer “vingança”. O período das ondas aumenta e uma boa escolha das ondas é crucial.
Dane Hall, com apenas duas ondas (8,00 e 6,33), sagra-se o grande vencedor, ficando Dionísio “Nica” Rosário em segundo, Pedro “Kid” Santos em terceiro e o jovem Francisco Cambim no último lugar do pódio a apenas 0,37 pontos do terceiro.

Final dramática nos Sub 16. Apenas 1,47 pontos separam o primeiro do terceiro lugar. Duarte Baltazar, mostra porque é o atual campeão em título do circuito e vence a contenda, com uma vantagem de apenas 0,94 pontos para o segundo classificado, o gémeo Gaspar Teixeira, que por sua vez ficou com uma vantagem de apenas 0,53 pontos sobre o terceiro classificado Diogo Roque. O outro gémeo, Simão Teixeira, ficou em quarto lugar.

Com a maré mais cheia, dão-se início às meias-finais de Surf Feminino. Nesta categoria estão em competição atletas dos 11 aos 20 anos. Na primeira meia-final Yolanda Sequeira e Sofia Oliveira passam para a final em primeiro e segundo lugar respetivamente, deixando a jovem Camila Costa em terceiro lugar. Beatriz Almeida domina a segunda meia, deixando Mafalda Lopes e Rita Jorge a discutir a passagem à fina até final do heat. Mafalda consegue a passagem com uma curta distância.

Na final Yolanda Sequeira, a jovem vinda do Algarve, abre as hostilidades com uma onda de 7,67 pontos. A campeã em título da categoria, Beatriz Almeida responde com 5,67, 6,33 e, a cereja no topo do bolo, com um 7,33. Yolanda não consegue uma segunda boa nota. Beatriz Almeida sagra-se assim vencedora desta etapa, com Yolanda Sequeira em segundo, Mafalda Lopes em terceiro e Sofia Oliveira em quarto lugar.
Filipe Cardoso, Bruno Grandela, Nuno Silva e Silvano Lourenço (Fotos: João Rosa e Pedro Motas)
A final de Sub 14 é dominada por três atletas dos Sub 12. Guilherme Ribeiro, vencedor Sub 12 na etapa inaugural do circuito nacional de esperanças realizada na Costa da Caparica, pulverizou por completo a concorrência. Das seis ondas que fez na final, quatro tiveram pontuações dignas de um profissional, a saber 8.17, 8.00, 7.23 e 7.17, para um score final de 16.33!
Afonso Antunes fica em segundo e com apenas três ondas (6.40, 5.83 e 5.00) consegue um score total de 12.23. Já a Martim Paulino fica-lhe a faltar uma boa segunda onda para o combinado, já que a sua melhor onda tem um score de 6.17, ficando em terceiro lugar com um score total de 10.07. Francisco Ribeiro, 6.83, ficou com o último lugar do pódio.

Os protagonistas para a final de Sub 12, são os mesmos que conquistaram os três primeiros dos Sub 14, tendo a companhia de Gabriel Ribeiro.
Afonso Antunes entra no heat com vontade de ganhar e abre as hostilidades com a melhor onda da final e um impressionante score de 8.50, colocando muita pressão sobre os adversários. Na sua segunda onda obtém um score de 6.00, o que lhe dá um excelente score total de 14.50. Guilherme Ribeiro não se deixa intimidar e com duas ondas de 7.83 e 7.00 consegue um score total de 14.83, tornando-se o vencedor da etapa nesta categoria, com a vantagem mínima de 0.33 sobre o segundo classificado. Martim Paulino repete o terceiro lugar alcançado nos Sub 14 e Gabriel Ribeiro fica em quarto lugar.

Bruno Grandela, Sub-12, Rita Jorge e Nica Rosário (Fotos: Sebastien Emmert e Paulo Ramos)
Para fechar em grande, realizou-se mais uma final emotiva, desta feita no Longboard. O atual campeão nacional, Bruno “Micá” Grandela, não deu hipóteses e venceu com um 8.00 e um 6.50, o que lhe deu um score final de 14.50. A luta pelo segundo lugar foi intensa. Um dos melhores e mais jovens longboarders nacionais, João Carvalho e o alemão Carlo Engelke protagonizaram um embate desde o início até final do heat. Com apenas 3 ondas, João Carvalho consegue o segundo lugar, com uma diferença de apenas dez décimas para Carlo Engelke. Outro alemão, Sebastian Emmert, ficou em quarto lugar.

António José Correia, presidente da Câmara Municipal de Peniche, sempre presente nos eventos do clube, sublinhou “a importância de haver tantos inscritos na prova, bem como da presença de muitos atletas jovens e com muita qualidade, sinal de que o futuro do surf em Portugal será risonho”.

O Peniche Surfing Clube agradece a todos os atletas presentes, aos seus treinadores e familiares que os acompanharam e a todos os voluntários que se disponibilizaram e abdicaram de um fim-de-semana para darem o seu contributo para a realização deste evento.

É notório que existe muito investimento feito por parte dos pais dos atletas, cada vez mais profissionalismo dos treinadores e um trabalho cada vez mais consistente por parte destes, dos clubes e das escolas, o que é imprescindível para o desenvolvimento das modalidades.

(Fotos: José Miguel Nunes, Paulo Ramos e Sebastian Emmert)
Brevemente será anunciada a data da 2ª etapa.

O evento teve o patrocínio da Rip Curl, da Refresh Boards e da SET – Waiting for It, com os apoios da Câmara Municipal de Peniche, Bombeiros Voluntários de Peniche, Oeste Portugal, Rico Imobiliária, Restaurante Prainha, Surf Castle e as parcerias da Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (ESTM) e Escola Superior de Desporto de Rio Maior (ESDRM).


Página Oficial do PPSC no Facebook:
http://www.facebook.com/peniche.surfclube

BOAS ONDAS!

Sem comentários: